Líder, gestor… ou P*&@ nenhuma?

Ilustração sobre ser líder ou chefe de sucesso

Este artigo tem como proposta esclarecer os seguintes pontos:

  1. As diferenças entre ser gestor, líder ou chefe;
  2. O que acontece nas relações de trabalhos e fora dele quando você se torna um líder na equipe;
  3. Dicas simples de como ser bom líder na empresa que trabalha ou administra;

Se você deseja saber mais detalhes a respeito, aproveite a leitura porque este artigo é esclarecedor!

Liderança é uma benção, não importa se você é líder ou gestor.

Você assume a equipe, começa feliz, empolgado.. e quando vê, está sozinho.

Os outros líderes, mais velhos de casa, tem comportamentos que você reprova – e por divergir nas opiniões vez ou outra, é claro que não é aceito no grupo.

Seus antigos colegas de equipe, hoje seus liderados, em outros tempos te convidavam pro almoço, pro churrasco, pro futebol no final de semana.

Agora não dá mais, afinal, você é “o chefe”, aquele que toma decisões duras, cobra metas e resultados e pode até já ter demitido alguém do grupo.

Pode parecer estória, mas se você conversar com pessoas que tem cargo de liderança verá que muitas delas compartilham do mesmo sentimento: solidão, nada de benção.

Se ser líder traz tantos desafios e percalços, por que muita gente ainda quer trilhar este caminho?

 

Dinheiro, status, aptidão, necessidade.

Ser líder tem suas “partes fenomenais de boas”.

Meu exemplo de liderança

Posso começar falando do meu caso: assumir as rédeas, tomar a frente da situação, motivar os colegas para agir, defender os “fracos e oprimidos”, comandar… que eu me lembre, desde a primeira série eu já fazia isso.

Posso ser considerada uma líder nata, destas que nascem com vocação para puxar o time.

 

Foto de quando eu, Lilian Sanches, era Gerente de RH.
Aqui estou eu com parte da minha equipe de 2011, quando eu era Gerente de RH.

Cuidávamos de pouco mais de 1600 colaboradores...

Das 11 pessoas da minha equipe, apenas 3 tinham experiência anterior em RH. 

Contratei, treinei e hoje me orgulho da carreira deles.

Diferente do meu caso, tem aqueles que desempenham bem sua função, crescem dentro de uma equipe em carreira solo – e seja pelo seu tempo e conhecimento de empresa, por terem resultados diferenciados ou pelos conhecimentos que possuem no projeto ou negócio, acabam “virando líder”.

 

> Vamos deixar bem claro. Esta introdução toda é somente para você entender que por mais que os caminhos sejam diferentes, o meio é sempre igual:

 

Os líderes normalmente não possuem todo apoio e referência que precisam, se sentem solitários e precisam se desenvolver em competências que muitas vezes sequer presenciaram!

Antes de continuar e falar sobre desenvolvimento de competências de liderança, precisamos contextualizar os títulos:

 

Líder, gestor… ou P*&@ nenhuma?

Líder, chefe e gestor não são as mesmas coisas

Sim, tem muito gestor disfarçado de líder.

Tem muito líder sem cargo, comandando, engajando e inspirando lindamente equipes.

Tem muita gente que não é nem um nem outro. Tem um cargo, um título. Na prática, não coordena, não inspira, não engaja. Mas serve de exemplo: Nem que seja do que não fazer.

 

***

Definições entre líder, chefe e gestor

  • Chefe – nomenclatura pejorativa, associada à quem manda de forma autoritária.
  • Gestor – responsável por processos, planejamento e sistemas. Gerencia o negócio, desde a parte financeira até políticas internas e externas para garantir o crescimento saudável da organização.
  • Líder – responsável pela condução, engajando, motivando, comunicando, desenvolvendo as pessoas rumo aos objetivos e resultados. Praticamente gerencia as relações entre as pessoas dentro das organizações, faz tomadas de decisões para que a equipe tenha bom rendimento e resultados esperados.

Nas empresas por aí existem chefes-gestores, gestores-líderes, líderes sem a gestão… e tem quem finja ser o que não é.

***

Eu tive a sorte de poder contar com alguns bons líderes. Que me inspiraram, me deram oportunidade, me incentivaram, me desafiaram a crescer – e que me puxaram muito a orelha! Mereci cada bronca, cada avaliação ou f**dback! E tudo isso me fez crescer.

***

Porém, quando me deparei com péssimos líderes, a lição veio à galope: a cada segundo eu conseguia entender o que eu não queria fazer e ser. Me policiava sempre para agir com minha equipe de forma diferente da qual eu era tratada.

 

***

Seja através de exemplos bons ou ruins, em avaliações ou feedbacks, ou pela própria auto-percepção, uma coisa é fato:

A maior necessidade de um líder é desenvolver a sua parte comportamental, melhorar seu autoconhecimento e sua visão sobre pessoas (de verdade), para então conseguir evoluir no papel (não apenas no cargo) de liderança.

Desde 2007 eu aplico programas de desenvolvimento de liderança. O ponto inicial a ser trabalhado é quanto ao papel do líder.

 

Saiba aqui como podemos ajudar sua empresa a ter melhores resultados e desenvolver pessoas.

Muitas pessoas viram líderes, mas tem dúvida sobre qual o real papel de um líder, acabam confundindo gestão com liderança, investem tempo demais nas tarefas e esquecem das pessoas – ou se perdem frente a tantas responsabilidades.

No meu entendimento, existem 3 pilares fundamentais para exercer uma boa liderança, para que alguém seja considerado um bom líder.

Falo sobre os 3 pilares aqui neste vídeo:

 

 

E quais são, ao meu ver, as Atitudes Essenciais para ser um Líder:

  1. SER EXEMPLO – não pode falar uma coisa e fazer outra. Não precisa impor nada, suas atitudes conduzem as pessoas a seguir seu exemplo e agirem da forma certa.
  2. TER SENSO DE DONO – sente-se responsável pela equipe, pelo projeto, pelas entregas. Assume o que precisa ser feito. O problema é sempre meu.
  3. DELEGA, CONFIA, DÁ AUTONOMIA E DESENVOLVE – um líder acredita no potencial da sua equipe, conhece cada um que está com ele.
  4. COMUNICAÇÃO E FEEDBACK ASSERTIVOS – um bom líder é bom ao se comunicar e em dar e receber feedbacks – inclusive pedindo a opinião ou sugestão dos outros quanto as suas ações e comportamentos.
  5.  É CONFIÁVEL E POSITIVO – todos confiam nele, sabem que podem contar inclusive nas horas ruins, porque ele sempre encara as situações como aprendizado, não como falha.
  6. Nunca coloca a culpa nas pessoas da equipe e sim, assume o que precisa ser ajustado. Se alguém deixou de fazer algo, ou fez errado, é porque ele falhou, não a equipe.

***

 

Estas atitudes estão totalmente interligadas

Assim como delegar não é apenas repassar uma tarefa e cobrar o resultado final, como muitos acham e fazem.

O primeiro elemento para a delegação acontecer é a confiança. Ao delegar, eu preciso confiar na capacidade de realização e no comprometimento da outra pessoa com a entrega.

 

E como confiar? Acompanhando. Delegando atividades em partes, checando o entendimento e a execução.

Porém, deixando o outro livre para que este contribua, agregue, não apenas faça “do meu jeito”. Que ele faça o melhor.

E por fim, incentivando e motivando para que o profissional evolua, se desenvolva, use suas potencialidades e se sinta realmente “dono do projeto” e peça fundamental dentro do grupo.

Assim, entregas acontecem e as pessoas se desenvolvem e se motivam.

 

**

Liderar é cuidar de gente.

 

E não tem como cuidar de gente, sem entender de gente, em sua individualidade.

A começar, entendendo sobre a gente mesmo.

 

Se você quer se desenvolver, conheça o coaching e saiba como ele pode te ajudar no autoconhecimento, desenvolvimento de habilidades e comportamentos.  Clique aqui e saiba mais.

Você quer ser líder ou chefe?

Definitivamente, você não pode misturar as coisas. Entenda as diferenças entre ser líder ou chefe.

Características de um chefe

Tem tendência a comandar pessoas. Também é conhecido por ser o único responsável pelas decisões e pensar apenas nos resultados e lucros.

O chefe é temido, não respeitado. Seus funcionários, geralmente, não se sentem abertos a relatar problemas e, muito menos, a pedir conselhos, quando têm dúvidas.

Características de um líder

É um inspirador, conhecido por ser um motivador de sua equipe, mostrando a direção que deve seguir e participa dos processos de trabalho junto com todos os envolvidos.

Os líderes têm tendência a serem muito respeitados por seus funcionários. Busca resultados sim, mas direciona a melhor maneira para a equipe conseguir. Divide as responsabilidades, metas e objetivos.

Pequenas dicas de como ser um bom líder

Sempre ampliar o conhecimento

Estudar é fundamental. Um líder só evolui e tem sempre mais a oferecer quando está munido de conhecimento e estar atualizado das tendências e novidades do setor. Compartilhar esse conhecimento é dar novos rumos para a equipe, obtendo mais resultados.

Faça autoavaliação

Sempre há o que melhorar. Identifique as suas falhas, gerencie melhor o seu tempo, saiba ouvir as críticas da sua própria equipe para se aperfeiçoar. Isso fará com que tenha uma liderança ainda melhor.

E aí, você quer ser um bom líder ou chefe?

Conte com a nossa consultoria.

Compartilhe!

Erro no trabalho: você sabe o que fazer caso cometa um?

Todo mundo já passou por isso: cometer um erro no trabalho.

 

Se a situação é inevitável – e quanto mais proativa a pessoa, mais predisposta ao erro – como lidar com a situação quando ela ocorrer e quais os passos para não deixar essa situação impactar negativamente em sua carreira?

 

  

O primeiro passo: analisar impactos e aprendizados.

 

 

O profissional deve analisar os impactos causados pelo erro. O que aconteceu, quem são as pessoas, áreas ou clientes impactados.

 

É importante também refletir sobre o motivo que levou ao erro, com foco no aprendizado e para que a falha não volte a acontecer.

 

 

Os motivos mais frequentes que levam aos erros no ambiente profissional são: excesso de tarefas realizadas de forma simultâneas, falta de atenção, falta de habilidade ou conhecimento para executar determinada atividade, desconhecimento de algum fator ou histórico.

 

 

 

Quem é o primeiro que deve ser avisado quando acontece um erro no trabalho?

 

Sempre comunique ao seu superior, e de preferência, quando houver tempo hábil, com as análises sobre impactos e motivos que levaram ao erro.

 

Transparência e humildade farão toda a diferença na hora de assumir que algo saiu diferente do previsto e ainda ajudarão a construir uma imagem de comprometimento e responsabilidade.

 

Todos somos passíveis ao erro e o importante quando ele ocorrer é nunca fingir que nada aconteceu.

 

 

É preciso propor uma solução para corrigir o erro? Por quê?

 

Sempre que possível, trace as ações necessárias para corrigir o problema. Se não souber como resolver, não hesite em pedir ajuda, inclusive envolvendo o restante da equipe.

 

 

O foco deve ser na solução e não no problema.

 

Mesmo quando não souber como solucionar, envolva-se diretamente nas ações propostas pelo líder ou pela equipe.

O responsável pelo erro deve ser o primeiro a mostrar preocupação não apenas em corrigir o problema, mas também em propôs soluções e processos para que o erro não volte a acontecer.

 

 

 

Tem gente que finge que não fez nada ou defende até a morte que o que fez era certo.

 

Que tipo de consequência essa atitude pode ter?

 

Ao ser descoberto, afirmar que não errou causa desconforto, perda de confiança e credibilidade, que pode comprometer de forma definitiva a carreira de alguém.

 

A equipe, o líder e demais envolvidos (como clientes ou fornecedores) dificilmente voltarão a confiar em alguém que não responde pelos seus atos e que não assume seus erros.

Portanto, é muito mais profissional e melhor assumir o erro, do que mentir ou omitir.

 

 

E se o erro foi causado por algum descuido devido a pessoa estar com problemas de ordem pessoal?

Dependendo da gravidade do problema pessoal, ele deve sim ser levado ao conhecimento do superior imediato, de forma privada, e não somente justificando o erro, mas também como um alerta de que pode ser necessário um afastamento ou diminuição das atividades críticas até que a situação pessoal se regularize.

 

Cada vez mais as empresas estão abertas a compreenderem o impacto das situações pessoais no ambiente de trabalho, afinal, não existe separação entre profissional e pessoal quando se fala sobre bem-estar e saúde física e emocional.

 

 

O que fazer caso o erro tenha causado uma demissão?

 

Ninguém tem o objetivo de errar, porém mesmo sabendo disso o sentimento de culpa é muito comum quando um erro acontece, ainda mais quando ele tem consequências severas, como no caso de uma demissão.

 

É importante tentar manter o foco nos aprendizados e no que precisa ser feito, da solução do problema à busca de um novo emprego.

 

Buscar apoio também deve ser considerado, principalmente nos casos onde o profissional não consegue mudar o foco dos seus pensamentos.

 

Um excelente exercício nesta hora, para aumentar a autoestima profissional, é fazer uma lista de tudo o que foi realizado e conquistado de positivo, das menores às maiores conquistas.

 

Essa lista também será útil quando precisar falar sobre a performance no último emprego, pois estará muito mais focado no positivo do que no erro cometido.

 

 

Se além de você, mais uma pessoa cometeu erro, mas só você levou a culpa (e o outro ficou calado), como proceder?

 

Chame a pessoa em particular para conversar e tente entender os motivos pelo qual ela não assumiu sua participação no erro.

 

Definam, nesta conversa, se o assunto será levado ao superior, ou leve você o tema para a liderança, também numa conversa individual, se achar que isso é necessário.

 

É importante entender que nem sempre as pessoas omitem seus erros por desvios de caráter. Muitas vezes, é o medo das consequências que impede as pessoas de falarem a verdade. Procure não julgar, antes de saber a verdade.

 

 

O medo de errar novamente pode atrapalhar o desempenho? Como evitar isso?

 

Sim, e é muito importante o papel do líder em apoiar e estabelecer conversas positivas, focando sempre na solução e na tratativa dos fatos e não no erro ou na busca por culpados, para não fortalecer sentimentos de culpa, fracasso e baixa autoestima.

 

Já a pessoa que errou deve focar em seu desenvolvimento, nos aprendizados adquiridos e em como ter mais atenção para não cometer novamente o mesmo erro.

 

 

 

E como evitar errar novamente? É possível fazer isso?

É fundamental a análise do ocorrido para que se evitem novos erros, identificando o que motivou o erro, ajustando processos, treinando e capacitando melhor os envolvidos e comunicando à equipe, para que todos aprendam com o erro cometido e assim a mesma situação não volte a acontecer.

 

 

Ninguém gosta de errar, mas é consenso geral que é através dos erros que surgem os maiores aprendizados.

 

 

Lembre-se: só erra quem faz.

 

 

**

Dois aliados para sua carreira: COACHING E MENTORIA.

Você sabe qual o ideal pra você?

Leia aqui

 

**

 

Quer ler mais? Nesta matéria da UOL eu contribui sobre este mesmo tema.

 

 

 

 

 

Se você procura coaching para sua carreira, treinamentos, mentoria ou consultoria, conte conosco. Atendimento online para todo Brasil. Atendimento presencial em São José dos Campos, Vale do Paraíba e São Paulo. Saiba mais aqui 

 

Compartilhe!

Qual a diferença entre Coaching e Mentoria?

Diferença de entre coaching e mentoria - ilustração sobre mentoria para coaches

 

Neste artigo quero compartilhar as seguintes informações fundamentais:

  • Definições de coaching
  • Definições de mentoria
  • O que é e como funciona a mentoria para coaches
  • Quais as diferenças entre coaching e mentoria

 

A maioria das pessoas busca crescimento profissional e financeiro, ser bem sucedido, ter realizações na vida, na carreira.

 

Só que muitas não sabem por onde começar, se estão no caminho certo, ou o que fazer para mudar determinada situação. Outras têm clareza do objetivo e precisam de apoio e orientação sobre qual a forma mais efetiva de concretizar seus objetivos.

 

Esta é a grande diferença entre buscar um processo de coaching ou de mentoria quando se deseja melhorar ou acelerar a carreira.

 

Embora nos dois casos o profissional irá utilizar técnicas, ferramentas e metodologias de desenvolvimento pessoal e profissional, a forma de abordagem é que será bem diferente.

Definições e empregabilidade do coaching

 

No processo de coaching é estimulado o raciocínio e a busca de respostas e do desenvolvimento através da análise de cenários, dos próprios atos e comportamentos realizados pelo cliente.

 

Os principais temas que levam os profissionais a buscarem um profissional de coaching para apoiá-los é:

  • Insatisfação com a carreira
  • Melhoria de Performance 
  • Desejo de transição de carreira ou negócio próprio
  • Busca por cargos de liderança e gestão
  • Organização e planejamento de carreira
  • Necessidade de ajustar comportamentos que estejam sabotando a carreira

 

O coaching pode ser considerado uma assessoria pessoal e profissional que utiliza procedimentos orientados destinados a uma ou mais pessoas, ou também para equipes e empresas alcancem resultados positivos, de acordo com objetivos e metas.

 

O processo tem como base de estudo a Psicologia Cognitiva, Psicologia Comportamental, Psicologia Positiva, Ciências Organizacionais e Filosofia.

 

Mais detalhes sobre o que é coaching durante a leitura.

Saiba mais detalhes sobre mentoria para coaches

 

 

Duas pessoas em reunião - ilustração sobre mentoria para coaches

 

 

 

O COACHING É um processo que pode ser realizado de forma presencial ou online, individual ou em grupo, onde são utilizadas ferramentas, reflexões e atividades para a construção de novos comportamentos e pensamentos com foco no aumento do autoconhecimento, clareza sobre objetivos e prioridades e a definição clara de metas, que resultam em melhor performance e qualidade de vida.

 

Definição de Coaching, pela Sociedade Brasileira de Coaching

O coaching é um processo, ou seja, um conjunto sequencial de procedimentos e ações que visa atingir uma meta ou objetivo. Por ser um processo, o coaching possui procedimentos definidos; tem começo, meio e fim; e transcorre em determinado período de tempo.

 

No processo de coaching, o cliente é levado a buscar novos entendimentos, alternativas e opções capazes de fazer com que ele amplie suas realizações e conquistas.

 

Em resumo: coaching é um processo que ajuda as pessoas a se conhecerem melhor, traçarem planos e assim alcançarem objetivos de forma integrada com sua verdade.

 

Ilustração de pessoas fazendo análises de carreiras

 

 

Mas ainda existem os nichos de atuação e as abordagens, por isso você vê coaches de variados tipos: emagrecimento, finanças, felicidade, saúde, relacionamentos, carreira. Cada um irá dar ênfase a um tipo específico de tema.

 

Quanto às abordagens:, a mais tradicional é a escola Americana, primeira a surgir e com foco em resultados.
Este modelo surgiu principalmente para ajudar empresas, gestores e executivos, por isso o foco em metas, resultados e performance. Eu utilizo esta metodologia, tradicional, para atender empresas.

 

Quando falamos sobre pessoas, olho no olho, eu me identifico mais com a abordagem do Coaching Integral.

 

O foco de atuação maior do meu processo de coaching é quanto à carreira e autoconhecimento, porém com a visão holística, analisando todas as interferências e impactos que as ações causam nos diversos papéis que queremos ter no decorrer da vida.

 

O profissional também pode ser pai ou mãe, marido ou esposa, esportista, viajante, leitor voraz ou voluntário em projetos sociais. Tudo se soma e nos complementa, de forma integral.

 

Por isso digo que tudo é sobre a gente, nada de olhar caixinhas separadas.

 

Neste vídeo, explico mais sobre o processo de coaching de carreira:

 

 

Agende uma sessão experimental ou saiba mais sobre coaching

 

 

 

 

 

E o que é mentoria?

Mentoria é um processo com foco na transferência de conhecimentos e vivências. Aqui, a experiência do profissional fará toda a diferença para o mentorado, pois o processo é muito mais ativo.

 

A mentoria é um caminho cada vez mais utilizado por profissionais que têm clareza sobre o objetivo que estão seguindo e que necessitam de ajustes e acompanhamento nas ações, para acelerar o percurso e os aprendizados, diminuindo tentativas e erros.

 

É como se fosse um “atalho” no qual o mentor dá a mão para o mentorado e o “puxa” cada vez mais frente, de forma ativa, ajudando a encontrar as melhores soluções e os melhores caminhos para cada etapa ou desafio.

 

A mentoria costuma ser um processo contínuo ou mais longo, onde você conta com um aliado mais experiente, que fez um percurso igual ou parecido com o que você quer realizar, que estará ao seu lado, apoiando e compartilhando conhecimentos, experiências, aprendizados, erros e acertos para que você evolui com a maior solidez e agilidade possível, ajustando comportamentos e ações conforme estas ocorrem, com os exemplos do dia a dia.

 

O mentor não toma decisões pelo mentorado, ele ajuda a enxergar com maior clareza os caminhos, possibilidades até então não observadas e soluções diferentes para as situações. Aconselha nas tomadas de decisões.

 

Exatamente por essa característica, é muito recomendado para gestores de empresas, empreendedores e profissionais que fizeram transições de carreira e que precisam acelerar a nova experiência, trazendo resultados mais rápidos do que num processo normal, que somaria o tempo de aprender com o de fazer.

 

Tipos de Mentoria que eu realizo:

 

  • Mentoria Empresarial, para Gestores: indicado para empreendedores ou profissionais em carreira de gestão, que precisam obter excelentes resultados através da melhoria da gestão de processos e pessoas.

 

  • Mentoria para Coaches: coaches que estão iniciando a carreira costumam ter dificuldade na escolha de nicho, diversificação do negócio, formas e ferramentas para atendimento, meios de divulgação, etc.É uma transição de carreira feita muitas vezes sozinho. Neste caso, somo minha experiência em desenvolvimento humano, de administradora, marketing e coach, ajudando não apenas na atuação, como na estruturação do negócio com bases sólidas.

 

A mentoria é um processo de grande cumplicidade, onde eu, como mentora, contribuo para o crescimento profissional de quem me pede esse apoio, e me motivo ao acreditar e embarcar nas realizações e no crescimento de colegas de profissão, com a intenção de que estes sejam ainda melhores do que eu sou.

 

Mentoria para coaches: por que é importante?

 

A gente nunca começa uma carreira sozinho. A construção de uma carreira ocorre com o compartilhamento das experiências, resultados de pesquisas de evidências ou experimentações.

 

Para quem está iniciando a carreira de coach, é fundamental receber orientações de quem já está há muito tempo atuando no segmento, com larga experiência no mercado. Uma ajuda e tanto para decidir qual segmentação (nicho) ou tema irá seguir, não é mesmo?

 

E não é só isso. Para ter sucesso como coach, seja qual for o nicho que irá atuar, é fundamental trabalhar com as ferramentas certas, entender os meios de divulgação, principalmente com a internet e as nuanças do marketing digital. A minha experiência pode ser útil para o seu sucesso.

 

Estou há muitos anos no mundo corporativo e hoje ajudo as pessoas a se reencontrarem e se reconectarem às suas essências através de encontros, workshops, coaching.

A minha experiência pode te ajudar a ter sucesso como coach.

 

Entenda como é possível aqui. 

 

Escrevi um E-book sobre os 10 erros que os coaches cometem no inicio da atuação. Clique aqui para ter acesso. 

Nele, escrevi tudo o que eu gostaria que alguém tivesse me falado quando eu comecei a atuar como coach.

 

 

 

Ganhos diretos e indiretos de quem tem um bom mentor:

  • Networking: aumento da rede de contatos e influência.
  • Inspiração: olhar para o lado e ver alguém que também está crescendo, se desenvolvendo, trilhando um caminho parecido com o que você almeja.
  • Recebe tudo mastigado: sim, muito do que você teria que gastar HBNC (horas bunda na cadeira) lendo, estudando ou até mesmo gastando em cursos, é passado de forma clara e aplicável.
  • Mão na mão, olho no olho: o que aumenta a facilidade e a rapidez no trajeto.
  • Tempo: tudo o que falta pra todo mundo hoje, que é acelerar o tempo que iria gastar para chegar até determinado ponto.
  • Neutralidade com assertividade: afinal, o mentor tem interesse que você evolua, e com isso irá lhe apoiar a tomar as melhores decisões e se desenvolver constantemente.

 

 

Siga em frente, cresça, se desenvolva.

Não será por falta de apoio que sua carreira ou negócio não irá deslanchar.

 

Conte comigo!

 

 

***

 

 
Se você procura coaching para sua carreira, treinamentos, mentoria ou consultoria, conte conosco. Atendimento online para todo Brasil. Atendimento presencial em São José dos Campos, Vale do Paraíba e São Paulo.

 

Compartilhe!

O perfeccionismo virou vilão?

Ilustração sobre o que é perfeccionismo no trabalho

Este artigo tem como objetivo apontar os sintomas do perfeccionismo no trabalho e quanto essa questão pode pode ser boa ou ruim no seu dia a dia.

Vivemos num mundo que cobra a perfeição a todo instante. O perfeccionismo tem sido valorizado, como comportamento esperado para se obter grandes resultados.

Não poste uma foto feia no Instagram, não ouse sair de casa sem ter arrumado o cabelo, sem estar com uma boa roupa. Seu filho tirou que nota na prova? Nove virou nota baixa. A perfeição aparece até nas entrevistas de emprego, quando perguntados sobre quais são seus pontos fracos e fortes, sempre aparece: perfeccionismo!

No ambiente profissional, competitivo, exigente e com foco em alta performance, é comum nos depararmos com pessoas que buscam cada vez mais a perfeição: não falhar, não cometer erros sob hipótese alguma e ainda mais – que vem e reveem cada tarefa realizada, buscando detalhes ínfimos a serem melhorados.

Precisamos ser perfeitos no trabalho, em casa, na sociedade, como pessoa, com a família.

E não apenas ser, é preciso mostrar que é.

E quando não se atinge esse alto patamar (fixado por quem, mesmo?) surge a frustração e a culpa!

 

Sintomas do perfeccionismo no trabalho e suas falhas

Perfeccionismo no trabalho ajuda ou atrapalha?

Nas entrevistas de emprego há um paradigma que assombra entrevistadores e entrevistados. Afinal, um profissional ser perfeccionista é bom ou ruim para empresa e organização? Depende do ponto de pista? Não, depende dos limites, comportamentos e habilidades de cada um.

Há perfeccionistas que buscam tanta perfeição que interfere nas atividades de outros colegas de trabalho, ficam realizando a mesma tarefa várias vezes por dia ou semana, diminui a produtividade.

Por outro lado, há os perfeccionistas que usam essa característica a favor próprio. Conseguem dividir as tarefas, se relacionar e não perder tempo no que não tem muita habilidade, mas não abrem mão da eficiência das tarefas.

Primeira reflexão, se você vive nesta pilha pela perfeição:

O que te motiva a agir assim? O que realmente busca? O resultado ou a aprovação de terceiros?

 

8 sintomas da perfeição que pode estar te atrapalhando:

 

  1. Você faz muito mais coisas para agradar aos outros do que porque realmente gostaria de ter feito.
  2. Você passa muito tempo fazendo tarefas repetitivas, como organizar ou conferir coisas.
  3. Constantemente você discute com as pessoas por elas terem feito algo diferente do que você esperava.
  4. Você procrastina e não finaliza algumas atividades, achando que falta algo ou que poderia estar melhor.
  5. Você é altamente crítico com o que faz.
  6. Você leva tudo para o lado pessoal – mesmo quando o erro foi cometido por outra pessoa, você se cobra!
  7. Você fica na defensiva quando é criticado.
  8. Você nunca acha que cumpriu o seu objetivo plenamente, sempre falta algo.

 

 

Para você não se sentir só, busquei na internet informação sobre alguns famosos perfeccionistas:

  • Glória Pires, atriz
  • Alessandra Negrini, atriz
  • Paula Fernandes, cantora
  • Cameron Diaz, atriz
  • Luciano Huck, apresentador e empresário
  • Beyoncé, cantora
  • Gustavo Kuerten, tenista
  • Lilian …rs

O que é ser perfeccionista

Os perfeccionistas, por serem muito detalhistas, determinados e não descansarem enquanto tem trabalho pela frente, não por acaso acabam conquistando sucesso em suas carreiras. O grande problema é o preço que pagam por esse crescimento, que vem com muito trabalho árduo e autocobrança exacerbada.

Eu, perfeccionista que sempre fui e que a algum tempo resolvi aliviar e ter uma vida e carreira mais leve, vejo que esta busca pela perfeição é uma maluquice que tem deixado muita gente sobrecarregada e com sequelas físicas, mentais e emocionais. Nos sobrecarregamos, vamos até o limite e nunca conseguimos baixar a régua.

 

Ilustração sobre o perfeccionismo no trabalho - lado bom e ruim

 

Na minha visão, a definição de prioridades, a melhoria contínua e o desenvolvimento constante, são fundamentais e substituem a síndrome da perfeição.

 

– O que é prioridade na sua vida, no seu trabalho?

Se é pra se esforçar em algo, que seja no que realmente te dê resultados.

– O que você faz hoje que pode fazer de outro jeito, com melhores resultados e com redução de tempo ou outros recursos?

Isso é melhoria contínua, é se provocar a fazer o que precisa ser feito, mas analisar onde pode melhorar.

– Quais são as suas potencialidades e como pode usá-las com o melhor proveito possível?

Insistir em ser bom no que somos ruins ou medianos dá muito mais trabalho, leva muito mais tempo e causa mais desgaste do que se especializar no que você faz bem. Invista em você. Desenvolva novos comportamentos, conheça novas tecnologias e processos.

Na vida real, fora dos livros de autoajuda, existem muitos erros.

Errar é humano, já dizia algum filósofo, e errar faz parte do processo de aprendizado. Isso se, quem errou, tiver resiliência – esta sim, junto com a capacidade de aprender constantemente, é uma competência que eleva a pessoa a novos e altos patamares.

 

Imagens de livros para simbolizar organização as perfeccionistas

 

Mudar, se adaptar, corrigir a rota, faz parte da vida, da carreira, do negócio de todos nós. Não tem planejamento bem feito que seja executado com perfeição.

 

Algo sempre sairá diferente, e assim, imperfeito quando comparado ao esperado.

A cobrança pela perfeição gera sentimentos autocríticos, de inferioridade, de incapacidade. Mina a autoestima e com ela o poder de superação e a coragem pra retomar o rumo.

 

Se você quiser ler mais sobre este tema, indico o livro A coragem de ser imperfeito, de Brene Brown. Leia aqui a resenha.

Hoje vejo que é melhor ser imperfeita, e manter sempre a coragem de seguir em frente e dar o meu melhor.

 

Hoje melhor do que ontem, amanhã, muito melhor do que hoje.

 

COACHING ou MENTORIA, qual a melhor opção pra ajudar você a se desenvolver e acelerar sua carreira? Leia este artigo.

Já conhece o programa personalizado de Mentoria de Carreira, Check-Up Profissional? 3 meses de acompanhamento direto comigo, para você ajustar sua carreira, melhorar os resultados e comportamentos e equilibrar vida e profissão.

 Clique aqui para saber mais

 

Compartilhe!

A vida que temos é fruto das nossas escolhas

Texto sobre escolhas da vida

Texto sobre escolhas da vida

Não seria este meu texto de hoje, tinha outro tema em mente. Mas ao acordar e conferir as redes sociais, deparei-me com um texto do Flávio Augusto, no Geração de Valor, onde ele fala sobre como ele se tornou quem é hoje, apesar de todas as dificuldades.

Lendo o texto, mil cenas vieram à minha cabeça, da minha própria história.

Do estudo nas escolas públicas, tenho lembranças não só do estudo, mas também dos amigos que fiz e dos dias em que em me deliciava em levar pra escola pão com margarina e Nescau (era a Nutella da classe D nos anos 80), quando tinha. Nos outros dias, sopão da merenda pública. Feliz.

Mochila feita de calça jeans, restos de uma calça cortada, costurada pela minha mãe. Tênis Le Cheval nos pés, sonhando um dia poder andar de Nike, como alguns colegas faziam.

Fui aluna das melhores notas e dos piores questionamentos. Me encantava aprender, devorava livros, era rata de biblioteca, me divertia muito quando havia qualquer prática, do laboratório com poucos equipamentos e uma cobra dentro do vidro com álcool às aulas de teatro.

 

Ilustração texto sobre escolhas da vida

 

Mas o que me encantava mesmo, desde sempre, era estudar para poder questionar. Ah, as lembranças da diretoria, das conversas com o coordenador.

 

Não, eu não aceitava o mundo como era imposto. Será que tinha mais alguma coisa? Sempre tinha.

 

“O que mais” virou meu questionamento interno padrão.

 

Claro que o sistema não gosta de quem o questiona, e obviamente tive alguns atritos. Eles não me abalavam, me davam força para ir além.

Frases como: “Não pode” ou “Isso não é pra você” eram combustível na minha já inflamada vontade de descobrir. E assim, fui em frente, e entre acertos e tropeços estou onde estou hoje, pronta pra descobrir: O que mais pode ter, ser, ou existir?

Não tinha pretensões de cursar uma faculdade, mas o fiz. Nunca ambicionei uma carreira corporativa, não tinha referências sobre isso em casa. Filha de pai metalúrgico de esquerda, que falava mal do patrão opressor, li Marx antes mesmo de ler Pollyana. Encontrei lógica e incoerências em ambos, continuei questionando.

De família de classe D, estudante de escola pública, educada para cuidar bem de uma casa, contrariei tudo, óbvio.

 

O que mudou de verdade meu destino?

Eu mesma. A decisão de que eu faria o que fosse possível e muito mais para seguir em frente em qualquer coisa que eu acreditasse. Sempre entrei em qualquer jogo pra ganhar. E não era pela competição com os outros, sempre foi comigo. Pra me provar, me desafiar, me incentivar a ir além.

Quando vi que o conhecimento liberta, mais e mais estudei.

Quando descobri que podia ter uma carreira, ser respeitada e ganhar muito dinheiro com isso no mundo corporativo, agarrei cada oportunidade.

Quando defini que não queria mais ter meu passe vendido pra uma única empresa, que queria lutar pelos meus ideais, mudar à mim e ao mundo, ampliando meu conhecimento e o oferecendo à quem quisesse chegar junto, mudei tudo: de casa, de carreira, de direção. E claro, me joguei com todo impulso, amor e dedicação à isso.

 

Amanhã, como será? Não faço ideia, ninguém faz.

O futuro sempre é incerto. Podemos planejar e nos preparar, mas nunca iremos ter controle sobre o que de fato acontecerá.

Dica: leia mais sobre como o autoconhecimento é útil para sua vida

Do ontem, do passado, trago experiências, erros, acertos e aprendizados.

 

Meu foco é no hoje.

E hoje, sei que nada me define, não tenho rótulos nem limites.

Eu posso ser e fazer o que eu quiser. Se eu realmente definir que quero.

 

Você também. Afinal, somos muito mais resultado de nossas escolhas do que daquilo que nos aconteceu.

 

O texto do Flávio Augusto do Geração de Valor, você lê completo aqui.

Esse texto sobre escolhas da vida certamente será útil para fazer reflexões.

Compartilhe!

Autoconhecimento: o caminho para uma vida melhor

Olhe para você, para quem você é e para o caminho que você percorreu até aqui: talvez você tenha grandes conhecimentos em humanas, exatas ou biológicas, grandes conhecimentos em idiomas, inglês ou espanhol fluentes, pode conhecer sobre softwares e aplicativos modernos e não me espantarei se você conhecer vários lugares do mundo.

 

E o que você conhece, com clareza, sobre você?

 

Normalmente temos muito mais facilidade em lidar com questões externas do que em olhar para dentro de nós, para identificar o que temos de bom e ruim. E aqui, não falo sobre aquelas perguntas de entrevista, pra você falar sobre pontos fortes e fracos, o que proponho é uma análise profunda sobre quem você é de verdade, quais suas preferência, motivações e paixões.

 

No melhor estilo: Por que você vive?

 

Ocupados com a vida corrida que assumimos desde o início da adolescência, nossa preocupação acaba voltada para a sobrevivência ou superação de desafios e etapas: escolher uma carreira, passar no vestibular, arrumar um bom emprego, conseguir se manter, comprar casa e carro, constituir família e assim seguir a vida com seus inúmeros desafios, deveres e compromissos.

 

Hoje, ainda temos mais um aliado para nos distanciar do autoconhecimento: o excesso de mídias e informações. Tudo nos leva ao mundo externo. Somos bombardeados o tempo todo pela oferta de tudo quanto é supérfluo mas que pode tornar nossa vida melhor – e com necessidade de trabalhar mais, ganhar mais para poder consumir… ainda mais.

 

Cobranças externas, comparações e competição também são elementos cruciais para nos distanciar de quem somos e do que gostamos.

 

 

Enquanto tentamos agradar aos outros ou nos encaixar num lugar que não é nosso, deixamos de viver a nossa vida de forma verdadeira, autêntica.

 

Como num jogo de quebra-cabeça, somos a peça da ponta tentando caber no meio. Não encaixa.

 

O autoconhecimento é fator determinante para fazer escolhas assertivas.

Saber quem você realmente é, do que gosta, onde quer chegar e porque faz o que faz (os motivadores) irá ajudá-lo não somente nos momentos de decisão, mas também a aumentar a qualidade de vida, melhorar os relacionamentos e otimizar os resultados.

 

Olhe pra sua vida, pra sua carreira, para os seus relacionamentos: O que você gostaria que fosse diferente ou melhor?

 

E tudo bem não ter a resposta exata sobre como gostaria que as coisas estivessem. Muitas vezes temos apenas a insatisfação, o incômodo sobre como as coisas estão mas não sabemos propor as mudanças.

É como se soubéssemos O QUE precisa ser mudado, mas buscamos nos livros e manuais da vida o COMO fazer, PRA ONDE ir… e a resposta está aí perto, dentro de você pra ser exato.

 

E como tirar estas camadas de sombras, máscaras, crenças e projeções e viver sua vida e carreira autêntica? Através do exercício contínuo do autoconhecimento, experimentando as possibilidades que a vida traz, aos poucos, para entender o que realmente faz sentido pra você.

 

 

3 aspectos fundamentais sobre autoconhecimento

Para você iniciar este mergulho em quem você e o que te trará real satisfação

 

Dedique-se a ser a sua melhor versão.

 

Pare de olhar para os pontos fracos e coloque sua energia no que você é bom. Não significa que você deva ignorar suas sombras e fraquezas, porém muitas vezes damos mais ênfase à elas e deixamos de potencializar o que realmente temos de melhor.

Acredite, será muito mais fácil, fluído e leve você agir com a sua melhor versão.

 

Quanto aos seus pontos fracos, observe e busque melhorá-los sempre que eles te impedirem de realizar algo ou de ter resultados melhores na sua vida e carreira. Crie o hábito de olhar para suas atividades e se perguntar: o que eu poderia ter feito melhor ou diferente, usando a seguinte frase “Eu também poderia ter feito x coisa”. Assim você irá estimular a melhoria, não a crítica.

 

Reflexão: O que você faz muito bem, sem dificuldade, preguiça ou cansaço?

 

 

Agimos mais pela dor do que pelo amor.

 

É necessário entender que o ser humano age para evitar a dor ou para buscar prazer. Porém, exatamente porque não queremos sofrimento, agimos mais pela dor do que pelo prazer de ter mais realizações. Temos muito mais iniciativa e ações para mudanças quando algo vai mal e procrastinamos na busca pelo prazer, quando tudo vai bem.

Se tudo está bem e eu tentar mudar algo, posso falhar. Falhar é sinônimo de dor, desconforto. Assim, muitas vezes evitamos começar algo novo.

 

Reflexão: Tente reconhecer suas dores e fraquezas. Comece percebendo o que te incomoda, o que te traz emoções negativas ou sentimentos de inferioridade.

 

 

As crenças tem papel fundamental sobre quem somos

As crenças são a nossa interpretação de fatos, estórias ou conversas.

Tudo o que vivenciamos, sentimos e ouvimos irá nos induzir a decisões e pré definições sobre o que é certo ou errado, bom ou mau, o que posso ou não posso, se sou capaz ou um fracasso. É a nossa interpretação sobre o mundo.

 

As crenças podem vir das nossas próprias experiências ou podem ser sociais, familiares, históricas. Acreditar em algo tanto pode nos limitar quanto fazer prosperar.

 

Eu dou força ao que acredito.

Assim, reconhecer as crenças que te limitam é fator fundamental para o autoconhecimento e para fazer escolhas assertivas.

 

Reflexão: O que você faz hoje apenas para agradar aos outros e o que não faz com medo do que os outros vão achar?

 

Neste artigo eu falo mais sobre Crenças Limitantes:

 Crenças limitantes: elas podem estar sabotando seus sonhos

 

 

As reflexões irão estimular você a pensar mais sobre suas ações, comportamentos, emoções: sobre você.

 

Autoconhecimento é músculo: exercite diariamente.

Este é o ponto de partida, começar a prestar atenção diariamente em você mesmo, sem cobranças, apenas buscando entender quais são as suas reais preferências, o que te motiva e te faz feliz, e o que você vem fazendo por obrigação ou simplesmente por não se dar conta de que havia opção melhor.

 

Conforme seguimos no processo contínuo de autoconhecimento, temos maior clareza sobre o que queremos de verdade e do que não abrimos mão. Isso te levará a ter menos medo de erros e mudanças, melhores resultados e a certeza de que está no caminho certo: o seu caminho.

 

Autoconhecimento é um desafio em que a disputa é com a gente mesmo, é tirar as máscaras, despir os personagens que criamos e seguir se descobrindo!

 

No dia 25 de Setembro realizei uma aula ao vivo sobre Autoconhecimento.

Assista aqui na íntegra:

 

Pra finalizar, seguem 3 poderosas reflexões que enviei ao final da aula: 

 

1) Olhe pra sua história. Do que você se arrepende e se pudesse voltar no tempo o que não repetiria?

 

2) Se não houvessem consequências ou dificuldades, o que você mudaria daqui pra frente em sua trajetória?

 

3) Como seria um dia fantástico para você, daqueles que você encerraria com sentimento de realização plena?

 

Feche os olhos, respire fundo e pense na sua vida. No que é maravilhoso e no que precisa de ajustes. E tudo bem não ter respostas prontas. Pense em como iniciar pequenas mudanças na sua vida para ir em direção da sua verdade.

 

***

 

Se você procura coaching para sua carreira, treinamentos, mentoria ou consultoria, conte conosco. Atendimento online para todo Brasil. Atendimento presencial em São José dos Campos, Vale do Paraíba e São Paulo.

Dois aliados para sua carreira: COACHING E MENTORIA. Você sabe qual o ideal pra você?

Leia aqui: https://www.intentus.com.br/qual-a-diferenca-entre-coaching-e-mentoria/

Compartilhe!

Como aumentar a performance profissional e manter o equilíbrio com a vida pessoal

Muita gente busca alta performance profissional, porém nessa busca incessante por resultados acaba não sabendo como equilibrar vida e carreira.

 

Este artigo tem como objetivo abordar os seguintes temas:

 

  • Como equilibrar a carreira com a vida pessoal
  • Por que temos dificuldades para encontrar tal tipo de equilíbrio
  • Dicas para mudar o nosso hábito

 

Qual a melhor forma de conquistar seus objetivos? Um passo de cada vez ou correr como se estivesse numa maratona, aceleradamente?

 

Não existe resposta certa, depende do seu momento, do objetivo, do que você espera no final – não apenas o resultado, mas a construção de quem você é e de como chegará ao objetivo impactam diretamente nesta escolha de estratégia.

 

A diferença é que lentamente você irá construir habilidades e condicionamento para seguir sempre em frente, cada vez melhor.

E correndo, você pode chegar mais rapidamente ao resultado, porém mais cansado e sem ter aproveitado o percurso.

 

Qual o certo e o errado, na vida? Não existe.

Existe o que é certo para cada um de nós, e a cada etapa da vida e da carreira.

 

Tem períodos em que precisamos correr. Em outros, precisamos nos permitir experimentar, validar e aprender.

 

Uma coisa é certa: vivemos cada vez mais acelerados, com senso de urgência aflorado. E cada vez é mais difícil equilibrar vida e carreira.

 

Tudo é pra já!

 

Com isso, muitas vezes não temos tempo de construir hábitos saudáveis e duradouros e nem de focar no que realmente é necessário e prioritário.

 

Os jovens saem das faculdades “prontos” para serem gerentes em 5 anos de carreira ou serem CEOs de uma startup famosa. E se consideram fracassados os que não conseguem. Só que a minoria consegue.

 

A maior parte dos profissionais terá que percorrer um caminho longo, passo a passo. E nem todos irão chegar ao final desta caminhada.

Alguns porque desistem, veem que não era bem aquilo que queriam.

Outros, porque sentem as dificuldades e limitações – inclusive as emocionais!

 

 

Um exemplo bem claro sobre como aceleramos a vida, nos últimos 30 anos: olhe para a alimentação, o famoso fast food.

 

São vários elementos: praça de alimentação, delivery, restaurantes self service, produtos industrializados praticamente prontos, refeições congeladas. Tudo que nos dê praticidade, mas que nos leve a comer rápido e voltar pra atividade, seja ela em família, lazer ou trabalho.

 

A mensagem subliminar é: seja sempre mais produtivo!

 

E nós seguimos inventando mil formas de sermos mais produtivos, de aproveitarmos melhor cada segundo do dia – para então, acelerarmos mais ainda.

 

Só que com isso, também inserimos em nosso dia inúmeras ferramentas que apenas nos roubam tempo – como redes sociais mal utilizadas, excesso de aplicativos e eletrônicos, informações inúteis em demasia (afinal, como as pessoas viviam antes, sem ter um aplicativo que registra seu ciclo menstrual ou sem ver as últimas fotos na praia da moça que participou do BBB 2?).

 

Exemplos talvez fora da sua realidade, mas vale a reflexão: o que você vem fazendo ou consumindo que não te agrega nada?

 

Administrar a vida pessoal influencia a sua vida profissional

Isso é um fato.

Um detalhe importante e que você precisa ter em mente é não misturar as tarefas profissionais com as pessoais. O que é do trabalho fique no tempo destinado ao trabalho, e o que é da vida pessoal, faça o que gosta no seu tempo também.

 

Até mesmo na nossa vida pessoal temos prioridades. Então estabeleça suas prioridades fora do trabalho. Se sua meta principal na semana é passear com os filhos, planeje e execute isso em primeiro lugar. Se sua meta é alterar a decoração do quarto, reserve o dia certo para isso e execute como se fosse um projeto do seu trabalho a ser entregue.

 

Repare que o gerenciamento do tempo é crucial.

 

 

Foco: ilustração sobre como equilibrar a vida e a carreira

 

Os dois principais pontos de atenção para quem quer conquistar qualquer objetivo: foco e hábito.

 

Foco:

Nem todo mundo nasce focado.

 

Eu sou um exemplo clássico disso, o que o teste MBTI chama de tipo N, os intuitivos. Abro a geladeira pra pensar, vou fazer algo e esqueço o que era no meio do caminho, me apaixono por novas ideias e esqueço das anteriores, começo a navegar pela internet em busca de algo importante e logo esqueço do que estava fazendo. Foco zero.

 

Mas o foco se constrói com: foco…rs. Isso mesmo.

 

 

Pergunta sobre foco, para você se fazer a cada etapa, dia, planejamento ou nova ação:

 

Onde isso me leva? Qual o meu objetivo com essa ação, o que terei/conquistarei quando concluir atividade. Faça esta pergunta quando ligar a TV e verá que em geral irá desligá-la, a não ser que o objetivo seja se informar ou descansar por algum tempo.

 

E aqui, vale a dica incrível para equilibrar vida e carreira – a técnica POMODORO para aumento de foco.

 

A Técnica Pomodoro é um método de gerenciamento de tempo desenvolvido por Francesco Cirillo no final dos anos 1980. A técnica consiste na utilização de um cronômetro para dividir o trabalho em períodos de 25 minutos, separados por breves intervalos

 

Passo-a-passo

  • Escolher e listar as tarefas a serem executadas;
  • Ajustar o cronômetro para o tempo desejado (geralmente 25 minutos);
  • Escolher a tarefa inicial;
  • Trabalhar na tarefa escolhida até que o alarme toque. Se alguma distração importante surgir, anotá-la e voltar o foco imediatamente de volta à tarefa;
  • Quando o alarme tocar, marcar um “x” na lista de tarefas;
  • Se houver menos de 4 marcações, fazer uma pausa curta (3-5 minutos);
  • Se houver quatro pomodoros marcado, fazer uma pausa mais longa (15-30 minutos), zerando a contagem de marcações e retornando ao passo 1.

 

As etapas de planejamento, controle de tempo, gravação de registros e visualização são fundamentais para a técnica.

 

Na fase de planejamento de tarefas, são priorizados os itens que devem ser feitos no dia. Isso permite que os usuários possam estimar as tarefas que exigem maior esforço. Como cada pomodoro refere-se a um período indivisível de 25 minutos, que deve ser registrado na lista, é possível fazer uma auto-observação de como o tempo é gasto.

 

Um objetivo essencial da técnica é reduzir o tempo das interrupções, adiando outras atividades que interrompam o pomodoro.

 

(fonte sobre Pomodoro: wikipedia)

 

Controlar o tempo é crucial para equilibrar vida e carreira

 

Outra dica fantástica e simples pra aumentar seu foco e assim equilibrar vida e carreira: como planejar suas atividades e metas

Tenha um caderninho (físico ou virtual – eu uso o app Evernote) para registrar ideias e afazeres. Tire da cabeça o que não precisa estar nela, deixe seu HD cerebral leve para processar informações.

Hábito:

Dificilmente conseguimos manter um hábito quando começamos ele de forma muito intensa, de forma pesada. Um bom exemplo são os regimes.

Quem quer conquistar o objetivo de forma acelerada, opta logo por iniciar dietas bruscas, muito privativas. Precisa perder x quilos pra caber no vestido pra próxima festa, por exemplo. Com a privação, vem a vontade. Porque não existe um novo hábito saudável, existe a limitação de não comer o que gosta e está acostumado.

Agora, quem quer criar o hábito de melhorar a alimentação, reduz e restringe alimentos aos poucos, acostuma o paladar, faz substituições.

Eu fiz assim quando defini que não tomaria mais café com açúcar, por exemplo. Fui reduzindo o açúcar, me acostumando com o amargo, até que comecei a tomar café puro e fiz disso um hábito.

 

Na carreira, no desenvolvimento pessoal, vale a mesma lógica.

 

Quem não tem o hábito de ler e se propõe a ler 1 livro na semana, ou no mês, poderá ter dificuldade e desistir. Mas se esta mesma pessoa se desafiar a ler uma ou duas páginas por dia, o desafio será baixo, ela começará a leitura e poderá ir aumentando a quantidade de páginas, conforme o hábito de ler for se consolidando – e se tornando fácil.

 

Eu sempre uso esta técnica com clientes de coaching que precisam ajustar comportamentos no trabalho, tais como interagir mais com a equipe, falar menos em reuniões, ter mais foco ou até mesmo ligar para clientes. Um pouco todo dia e o novo comportamento virará hábito, e aos poucos irá se consolidando.

 

Conheça todas as teorias, mas entenda sobre você

 

Não existe regra que se aplique pra todo mundo, porém muitas vezes as pessoas tentam pegar modelos prontos e seguir firmemente – se deu certo pro outro, tem que dar certo pra mim. Só que eu sou eu, o outro é o outro (simples, né?).

 

 

Não somos máquinas, somos pessoas, cada qual com seu ritmo, necessidades, potencialidades.

 

Neste artigo falo um pouco mais sobre isso, se o tema te interessar:  Os robôs que tememos são os que nós nos tornamos

 

A comparação leva à competição, frustração e muitas vezes ao sentimento de inferioridade.

 

Precisamos entender que a competição é com a gente mesmo, não com os outros.

 

Que se eu me dedicar a ser melhor do que eu fui ontem, está bom. E que sim, também preciso descansar, respeitar o meu ritmo, meu momento.

 

Em geral, comparamos nosso momento atual, muitas vezes sem brilho, cheio de sombras, ao outro em seu melhor momento. É como se colocássemos o outro num pedestal, o tempo todo, e estamos sempre olhando de baixo, menores, inferiores.

 

Neste artigo falo sobre a competição desenfreada e o quanto isso tem nos feito mal. Sobre o canibalismo moderno e a nossa competição desenfreada

 

É como muitas mulheres que veem a foto da celebridade no instagram, com a barriga chapada, e começam processos pra ficar com aquele corpo e se sentem inferiores por terem alguns pneuzinhos ou estrias.

 

Mas não enxergam as sombras do outro lado: a alimentação e privações necessárias, a equipe de profissionais que apoiam, o dinheiro e o tempo investido, a dedicação para aquilo acontecer.

 

Querem a vida que tem – com trabalho, filhos, afazeres, mas com o resultado que o outro conquistou.

 

Na carreira é igual: muitos querem a vaga de gerente ou de CEO.

E o percurso? As noites sem dormir, o nível de preocupações, a dificuldade em equilibrar a vida pessoal com o crescimento profissional, as privações, o investimento de tempo e dinheiro em desenvolvimento.

 

Considero que as nossas etapas de amadurecimento e aprendizado, na vida e na carreira, são iguais à jogos de vídeo game.

 

São fases que precisam ser vivenciadas e vencidas para que ganhemos experiência.

 

Não adianta iniciar o jogo lá pela 7a, 8a fase… você não saberá como ganhar dos monstros que surgem e nem como alcançar as estrelinhas de poder. Porque isso era aprendizado da fase 4 ou 5, se você acelera a fase, você ainda não aprendeu o suficiente para atravessá-la.

 

Assim como na carreira, você não pode começar de cima ou acelerar demais o processo de crescimento. Se o fizer, poderá faltar base.

 

É preciso investir em autoconhecimento para conhecer seu ritmo, suas necessidades de desenvolvimento e suas potencialidades, e assim, investir assertivamente em seu desenvolvimento contínuo.

 

Também é necessário construir as habilidades e conhecimentos, fase a fase, monstro por monstro, vitória ou recomeço, um após o outro.

 

E entender que cada pessoa tem potencialidades diferentes.

 

Algumas tem talento racional, entendem logo qual a melhor solução para um problema. Outras tem talento social, interagem facilmente, conseguem influenciar os demais em busca de resultados. Outros tem talentos físicos, unem destreza com força e habilidade física, por exemplo.

 

E que todos tem espaço, cada qual à seu tempo.

 

Uns correndo, outros caminhando.

 

 

Espero que compreenda com este artigo como equilibrar vida e carreira de maneira assertiva.

E aí, como podemos te ajudar neste equilíbrio? Saiba mais.

 

 

Compartilhe!

Mudanças para uma vida melhor

Mudanças, planejamento e resiliência. Para mim, os três elementos que nos ajudam a ter uma vida e carreira melhor. Palavras e ações constantes em minha vida.

Aqui estou eu, escrevendo este texto feliz e rodeada de caixas. Mais uma mudança pra minha lista.

 

Desta vez, mudança breve, próxima, no mesmo bairro, apenas de um apartamento para outro. Já morei em alguns lugares de Sul à Sudeste, já visitei outros tantos. Gosto do mundo, chego num lugar e logo me apaixono, me integro, sinto-me em pleno pertencimento ao local. Olho em volta e penso: poderia morar aqui.

 

Contabilizando rapidamente, esta é a minha vigésima mudança de endereço. Se eu falar de emprego, de cabelo, de gostos, de vontades… milhares de mudanças!

 

Sempre fui meio metamorfose, nunca me acostumei com as coisas mornas. Quero calor escaldante, de arder a alma e o coração ou o frio intenso que gele a espinha. Estou aqui pra viver intensamente, hoje.

 

Não nasci e nem me conformo com nada mais ou menos. Por isso, mudar não me traz sensação de trabalho. Me traz a emoção de novidade, me desligar de algo que eu já conhecia ou que eu não estava gostando, pra algo… novo!

 

Que pode ser melhor, pior ou igual. (É necessário deixar isso claro: nem toda mudança traz coisas melhores. Mas como saberemos? Testando.) Mas é novo.

 

Gosto da novidade, porém hoje tenho plena consciência de que gosto mesmo é de experimentar.

 

Eu não vivo simplesmente, eu saboreio a vida. Sou totalmente apaixonada por experimentar cada possibilidade que existe no mundo ou de inventar o que ainda não há.

 

Para manter essa minha paixão por novidades, mudanças e experimentos é necessário planejamento, adaptabilidade e resiliência.

 

 

São as 3 características essenciais de quem quer mudar qualquer coisa!

Na vida, na carreira, nos relacionamentos. 

 

Porque não dá pra sair por aí mudando tudo da noite pro dia: é preciso pesar prós e contras, analisar riscos, gastos e impactos – não só para mim, mas para todos envolvidos – e montar um plano de ação.

 

Agora, também não dá pra se agarrar na zona de conforto e não mudar nada, passar a vida toda do mesmo jeito, esperando o melhor momento, esperando estar pronto ou esperando alguém fazer algo por você.

 

Tudo é com a gente. Se você está incomodado com algo, comece pelo primeiro passo, com o planejamento.

 

 

Destas mudanças frequentes, de quem muda de casa, gosto ou opinião, deixo pra você 2 reflexões que podem te ajudar a ter clareza sobre por onde começar:

 

O que você precisa mudar.

O que está sem graça na sua vida, onde você precisa ter novos ares.

Uma forma de enxergar esses itens: liste tudo o que você vem fazendo da mesma forma, quais comportamentos ou ações você vem repetindo, sem ter resultados bons ou pior ainda: tendo resultados negativos!

Separe a lista em 4 pilares: Pessoal, Profissional, Familiar e Social.

Lista feita, comece uma mudança de cada vez.

 

O movimento é mais importante do que a pressa.

Do que você precisa desapegar.

Em toda mudança, um grande trabalho é encaixotar tudo, carregar e arrumar novamente. O que fui aprendendo, e que tem feito cada vez mais sentido na minha vida: desapegar.

 

E essa lição é pra vida. Quantas vezes estamos carregando pesos desnecessários. Então, mesmo que você não se mude fisicamente, exercite o desapego:

  • Na sua casa: tire roupas, sapatos, enfeites, livros que não usa mais e doe ou venda. Jogue fora ou arrume o que estiver quebrado, sem uso.
  • No trabalho: desapegue de tarefas que não são suas, de reclamações que não levam à lugar algum, de pessoas que não agregam, de comportamentos que impedem seu crescimento.
  • Nos relacionamentos: desapegue de pessoas que não te servem, mas desapegue também de emoções negativas: desapegue de ciúmes, da raiva, do egoísmo. Viva sua vida leve e deixe que os outros sigam leves também, não repasse sua bagagem e seus pesos para os outros.

 

Mude, que o mundo muda com você.

 

E se você, como eu, adora uma mudança, apenas um ponto de observação: o que te motiva à mudar. É a novidade em si, gostar de coisas novas e experimentos, como eu, ou é fuga, é buscar algo que te falta em coisas externas?

 

As vezes queremos mudar apenas para fugir de algo que não conseguimos resolver ou que não queremos ver, enfrentar. Cuidado.

 

Quando é assim, a pessoa muda de relacionamento e se relaciona na sequência com alguém igual, fica vivendo as mesmas situações. Muda de emprego e quando se dá conta estará fazendo as mesmas atividades e com as mesmas queixas no novo ambiente. Muda de casa e terá os mesmo problemas.

 

Porque não resolveu, não enfrentou.

 

Você se muda e o problema vai junto.

Você e suas sombras continuarão iguais, apenas num ambiente novo.

 

Mudar não significa apenas abandonar o velho e seguir para o novo, levamos pedaços fundamentais – quem a gente é! – para onde formos.

 

Então, vale arrumar primeiro a bagunça interna.

 

Tirar o pó das caixas que estão dentro da gente, que não usamos mais e que trazem peso à alma, ao coração e que podem estar aí tirando seu sono e causando medo de seguir em frente.

 

**

 

Se você quiser ler um pouco mais sobre como unir REALIZAÇÕES com RESPEITO AO SEU RITMO, te indico este artigo:  Do essencialismo ao desapego – Como reduzir o ritmo sem reduzir suas realizações

 

Compartilhe!

120 cursos gratuitos pra você turbinar sua carreira ou negócio

Com o intuito de disponibilizar conhecimento no mundo virtual, algumas instituições como a USP, UNICAMP, ITA, INSPER, FGV, SEBRAE, SENAI e inúmeras universidades do exterior optaram por abrir alguns de seus conteúdos de forma gratuita, muitos ministrados por professores renomados em suas áreas, e a maioria realizada através de cursos livres – que não requerem pré-requisito de quem vai cursar. Se você procura cursos gratuitos com certificado ou com documentação, este artigo vai apontar diversas opções nas melhores plataformas ou instituições de ensino.

É comum as instituições abrirem os cursos gratuitamente mas cobrarem uma taxa pra emissão do certificado, ou seja, você pode cursar, mas, se precisar do certificado tem que pagar (em geral o valor é baixo, comparado ao mesmo curso na modalidade presencial). Aí, vale sua avaliação: você precisa do conteúdo/conhecimento ou do título?

 

Pra quem é útil?

  • Pra quem está desempregado e não quer ficar parado, quer se atualizar.
  • Pra quem está buscando um plano B e quer conhecer um pouco mais sobre algum tema.
  • Pra quem tem empresa própria e quer entender mais sobre assuntos específicos, pra ajudar no negócio e na gestão.
  • Pra quem quer alavancar a carreira e ter diferenciais.
  • Pra quem estuda e precisa complementar as horas extracurriculares.
  • Pra quem é curioso e gosta de estudar.

 

Imagem de biblioteca para ilustrar cursos gratuítos com certificados

 

Separei algumas destas instituições e fiz uma lista com 120 cursos pra te ajudar a mergulhar neste universo do ensino online:

 

UDACITY

Pra mim, uma das melhores! A Udacity surgiu de uma experiência na Universidade de Stanford.

Mantida pela galera do Vale do Silício, oferecem certificações e programas em parceria com as gigantes de tecnologia (leia-se: empresas como Google, AT&T e Facebook!).

Os cursos são projetados para que os profissionais se tornem desenvolvedores WEB, analistas de dados, desenvolvedores mobile, etc.

Vários cursos são oferecidos gratuitamente e apesar de serem em inglês, alguns já possuem legendas e materiais em português. Faça a busca em Cursos Abertos > Idioma Português.

 

Alguns cursos abertos na data deste artigo:

  • Análise de Dados com R
  • Desenvolvimento Android Wear e Android Auto
  • Fundamentos do Design Responsivo para a Web
  • HTML5 Canvas
  • IA Baseado em Conhecimento: Sistemas Cognitivos
  • Introdução à Realidade Virtual
  • Introdução ao JQuery
  • Javascript Básico
  • Material Design para Desenvolvedores Android
  • Otimização de Performance de Website
  • Teste A/B

 

Veja os cursos da UDACITY aqui

 

FGV

A Fundação Getulio Vargas foi a primeira instituição brasileira a ser membro do OEC – Open Education Consortium, um consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos sem custo, pela internet, e fornecem a declaração do curso sem custo algum.

Destaco os cursos gratuitos FGV

  • Como fazer investimentos 1 e 2 – 12h e 8h
  • Como organizar o orçamento familiar – 12h
  • Como Planejar a Aposentadoria – 10h
  • Conceitos e Princípios Fundamentais do Direito Tributário – 5h
  • Direito Autoral e Sociedade – 5h
  • Ética Empresarial – 5h
  • Filosofia – 30h
  • Patentes e Bases legais – 5h
  • Produto, Marca e Serviço – 5h
  • Qualidade em Serviços – 15h
  • Quiz : Jogo das Novas Regras Ortográficas – 15h
  • Recursos Humanos – 15h
  • Sociologia – 30h
  • Sustentabilidade aplicada aos negócios: orientações para gestores – 10h
  • Sustentabilidade no dia a dia: orientações para o cidadão – 12h

 

Alguns cursos são apenas introdutórios aos temas, outros darão uma boa base de aplicação ao aluno. No final do curso é possível gerar a declaração de realização do curso (não é certificado, mas tem validade). Se está a procura por curso gratuito FGV, estas opções são ótimas para aumentar o seu conhecimento e capacitação profissional.

Informações no site da FGV

 

Ilustração sobre cursos grátis no exterior

 

 

EDX.ORG

 

Nesta plataforma você irá encontrar cursos de grandes universidades americanas e de outros países, como Harvard, MIT, Columbia, Boston Universit, Sorbonne entre outras. Se pretende encontrar cursos gratuitos no exterior, essa é a oportunidade.

Todos os cursos estão disponíveis apenas em inglês. Ruim para quem não é fluente no idioma, perfeito pra quem quer avançar no inglês e que precisava de um incentivo.

Alguns cursos disponíveis:

  • Artificil Intelligence – ColumbiaX
  • Big Data – AdelaideX
  • Cibersecurity – RITx
  • Computer Science Essencial – PennX
  • Corporate Finance – ColumbiaX
  • Digital Marketing – Wharton
  • Risk Management – New York Institute of Finance
  • Robotics – PennX
  • Social Work – MichiganX
  • Supply Chain Management – MITx

Informações sobre os cursos da EDX, aqui

 

COURSERA

 

Provavelmente a maior plataforma de cursos de nível superior do mundo. Possui cursos abertos (introdutórios e em geral, gratuitos) e cursos mais aprofundados e de extensão, com certificado mediante pagamento de assinatura.

Possui cursos do ITA, PUC-Chile, Universidade de Genebra, MoMA, Tel Aviv University, Ohio, Michigan University, Fundação Lemann, University of Tokio, entre varias outras. Além do conhecimento, pode ser sua porta de acesso à uma instituição internacional, sem sair do Brasil.

 

Alguns cursos disponíveis, em destaque no próprio site:

  • Algorithms – Princeton
  • Aprenda a ensinar programação com o Programaê – Fundação Lemann
  • Bitcoin and Cryptocurrency Technologies – Princeton
  • Data Science – Johns Hopkins University
  • Design Thinking for Innovation – University ou Virginia
  • Empreendedorismo – Universidade Estadual de Campinas
  • Excel to MySQL – Duke University
  • Financial Markets – Yale
  • Gamification – University of Penssylvania
  • Machine Learning – Stanford
  • Managing an Agile Team – University of Virginia
  • Princípios de Desenvolvimento Ágil de Software – ITA
  • Programming Languages – University of Washington
  • Python for Everybody – University of Michigan

 

Todos os cursos e informações sobre o COURSERA você encontra aqui

 

Ilustração sobre cursos grátis para se profissionalizar

 

 

INSTITUTO PROMINAS

 

O Instituto oferta Cursos Gratuitos de Extensão em nível de ensino superior, com carga horária de 30 ou 45 horas nas áreas: Ambiental, Educacional, Empresarial, Engenharia, Jurídica, Saúde e Social.

Os cursos ofertados não possuem taxa de inscrição ou mensalidades.

A duração mínima é de 30 dias e é emitido certificado mediante nota igual ou superior a 7 na avaliação final.

 

Alguns cursos disponíveis:

  • Administração de conflitos e o processo de negociação
  • Administração pública
  • Contratos e licitações
  • Introdução ao georreferenciamento e geoprocessamento
  • Libras – língua brasileira de sinais
  • Mecânica clássica
  • Métodos e técnicas de gestão de projetos
  • Praticas de gestão estratégica e marketing
  • Práticas e métodos de gestão escolar
  • Resistência dos materiais
  • Saneamento i – tratamento e uso de águas
  • Técnicas avançadas de manutenção
  • Tópicos especiais em engenharia de suprimentos
  • Tópicos especiais em engenharia elétrica
  • Viabilidade econômico-financeira de projetos

 

Todos os cursos disponíveis e mais informações sobre o Instituto Prominas

 

VEDUCA

 

Plataforma social de cursos online, com participação de professores da USP. Você encontra vários cursos, com duração média de 30 a 45h. Os cursos possuem a opção gratuito – SEM CERTIFICADO. Para ter acesso ao certificado é preciso pagar, em geral, R$ 49.00.

Alguns em destaque:

  • Gestão de Pessoas – 35h
  • Gestão de Projetos – 45h
  • Gestão da Inovação – 45h
  • Finanças pessoais e investimentos – 15h
  • Produção mais limpa e Ecologia Industrial – 45h

 

Informações sobre o VEDUCA

 

 

INEAD

 

O Instituto Nacional de Ensino a Distância é associado à ABED (Associação Brasileira de Educação a Distância). Com o objetivo de propagar conhecimento, o Instituto busca desenvolver a capacitação profissional, oferecendo cursos gratuitos, pela internet, aberto a todos, sem pré-requisitos e em diferentes áreas de conhecimento.

 

Após aprovação na avaliação final do curso o aluno tem a opção de emitir o certificado digital de conclusão mediante o pagamento da taxa de emissão de certificado.

 

Alguns cursos:

  • Análise de Demonstração Financeira – 20h
  • Atendimento ao Cliente – 35h
  • Comunicação Empresarial – 35h
  • Contabilidade básico – 60h
  • Controles Financeiros – 45h
  • Gestão e Gerenciamento de Obras – 35h
  • Gestão Financeira para Pequenas e Médias Empresas – 35h
  • Leitura Dinâmica – 25h
  • Marketing Pessoal – 20h
  • Matemática com HP12C – 25h
  • Montagem e Manutenção de Microcomputadores – 55h
  • Negociação – 25h
  • Noções básicas do direito – 50h
  • Photoshop CS5
  • Web Designer – 60h

 

Todas informações do INEAD você encontra aqui.

 

Ilustração de estudo em cursos gratuitos online

 

INSPER

 

Os cursos online do Insper apresentam temas relevantes e integram o conhecimento e didática de seus docentes à flexibilidade do aprendizado online, em parceira com a plataforma Coursera. Os dois cursos disponíveis são gratuitos, porém para obter o certificado é necessário pagar a taxa da plataforma.

 

  • Introdução ao Marketing Analítico.
  • Capitalismo Consciente

 

Informações sobre os cursos do INSPER

 

 

Centro de Computação da UNICAMP

 

Todo o material didático do projeto Mini Cursos Virtuais, desenvolvido pela equipe de Educação a Distância do Centro de Computação da Unicamp, é de uso livre, gratuito e irrestrito.

 

 

 

SEBRAE

 

O portal de apoio ao Empreendedor não poderia ficar de fora e disponibiliza em seu site vários cursos online gratuitos, com foco em quem quer empreender ou já possui sua empresa e quer aprimorar a gestão do negócio.

 

Alguns dos cursos disponíveis:

  • Análise de Mercado
  • Análise e planejamento financeiro
  • Custos
  • Fluxo de caixa
  • Gestão da inovação: inovar para competir
  • Gestão de equipe de vendas
  • Iniciando um pequeno e grande negócio
  • Liderança: como desenvolver times de alta performance
  • Marketing Digital para o Empreendedor
  • Preço de venda no comércio e serviço
  • Procedimentos para Exportação
  • Qualidade no atendimento ao cliente
  • Responsabilidade Social Empresarial
  • Sucessão Empresarial

 

Informações sobre cursos do SEBRAE você encontra aqui

 

 

SENAI

 

O Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial ) tem disponível um total de 27 cursos totalmente gratuitos em sua plataforma de ensino on-line. Os cursos têm certificação ao final. O aluno receberá o certificado somente se garantir até 70% de aproveitamento durante o curso. Após ser aprovado, o próprio estudante emite o documento via internet.

 

  • Administrando o seu dinheiro
  • Comunicação no Foco Organizacional
  • Consumo Consciente de Energia
  • Desenho Arquitetônico
  • Empreendedorismo
  • Fundamentos de Logística
  • Legislação Trabalhista
  • Lógica de Programação
  • Metrologia
  • Noções Básicas de Mecânica Automotiva
  • Propriedade Intelectual
  • Qualidade no Atendimento e Postura Profissional
  • Redação Administrativa
  • Trabalho em Altura
  • Trabalho em Espaços Confinados

 

Confira os cursos do SENAI aqui

 

* * * * * * * * *

 

Lembre-se, muitos destes cursos gratuitos não são formações ou especializações, mas são uma grande oportunidade para você saber mais sobre determinado assunto, chegar na empresa ou na próxima entrevista com novos conhecimentos, ou conhecer um pouco mais sobre determinada área ou assunto para depois buscar o aprofundamento no tema.

 

O que vale: investir em você e se desenvolver sempre, sem desculpas!

 

Você tem sugestões de outros cursos online gratuitos para a nossa lista? Nos envie que iremos atualizar aqui e disponibilizaremos para mais pessoas!

 

**

 

Agora,  não adianta ficar estudando, estudando, estudando…se você não sabe pra onde quer ir e o que realmente te trará os resultados esperados, a vida e a carreira que você tanto deseja e merece!

 

**

Dois aliados para sua carreira: COACHING E MENTORIA.

Você sabe qual o ideal pra você?

Leia aqui: https://www.intentus.com.br/qual-a-diferenca-entre-coaching-e-mentoria/

 

 

Se você quer evoluir em sua carreira ou negócio,  conte conosco.

Atendimento online para todo Brasil.

 

 

Compartilhe!

Como ser feliz no trabalho

Como ser mais feliz no trabalho com a competitividade em alta, medo do desemprego, busca por aumento de performance e resultados, ambientes e relacionamentos hostis e insalubres nas empresas, sobrecarga de trabalho?

 

Mesmo com todos estes desafios, existe espaço para ser feliz e buscar o equilíbrio entre as ambições profissionais e as necessidades pessoais.

 

O primeiro passo para ser feliz no trabalho é reconhecermos os aspectos que nos trazem satisfação, motivação, que suprem nossas necessidades individuais, bem como reconhecer o que não nos faz bem – e o que não queremos para nossa vida e carreira.

 

Quando falo sobre felicidade no trabalho, três questionamentos são fundamentais, tente respondê-los:

 

  • Como você chegou onde está – quais caminhos percorreu para chegar na posição onde está hoje, seja ela boa ou ruim.
  • Porque você está aí, nesse emprego, carreira ou empresa – mesmo que ela seja sua! – o que te faz ir trabalhar, o que te motiva a buscar o seu desenvolvimento e maiores resultados.
  • O quanto esse trabalho tem a ver, em %, com o seu estilo de vida.

 

 

Antes de qualquer mudança – de empresa, de profissão, de área – é necessário checar se a insatisfação é geral, que necessite mesmo da mudança, ou se são apenas itens pontuais a serem ajustados.

 

Neste caso, ao invés de investir na mudança, podemos nos aplicar no desenvolvimento de habilidades e comportamentos que aliviem a pressão e tragam mais satisfação.

 

 

Um alerta importante:

Os transtornos mentais, muitas vezes ocasionados pelos altos níveis de estresse e excessiva carga de trabalho, foram a terceira maior causa de afastamento dos trabalhadores brasileiros nos últimos 4 anos.

 

Mais de 17 mil casos de concessão do auxílio-doença e de aposentadoria por invalidez foram registrados entre 2012 e 2016 com este motivo, segundo o Boletim Quadrimestral sobre Benefícios por Incapacidade, divulgado em 2017 pelo governo federal.

 

 

 

 

Tampar o Sol com a peneira e seguir com a insatisfação não resolve.

 

Pensar no que te incomoda hoje é o primeiro passo para solucionar qualquer problema.

 

 

Ao identificar os gatilhos, o que desperta a sua insatisfação, você estará limpando seu campo de visão e assim começará a perceber se os problemas estão mesmo relacionados ao seu campo de atuação, à empresa em que você trabalha ou até mesmo se o problema é com você.

 

Se você está insatisfeito com o trabalho que tem ou, apesar de gostar do que faz e da empresa onde atua, não se sente plenamente feliz, talvez o problema não esteja nem mesmo no trabalho, diretamente.

 

Um fator muito comum é a incompatibilidade entre a vida profissional e a vida pessoal, causando desequilíbrio e frustração.

 

 

No trabalho é quase inevitável passarmos por problemas ou fases ruins.

 

Enfrentaremos riscos, erraremos e trabalharemos sobre pressão. Haverá sempre aquele relatório ou tarefa que você não gostaria de fazer ou um feedback negativo.

 

É preciso encarar essas situações com maturidade.

E diferenciar fases, momentos ruins, daquilo que realmente não nos serve mais.

 

 

Ninguém está isento e não é uma situação ou um dia ruim que causa infelicidade. É a soma de alguns fatores.

 

 

Se você está insatisfeito com o trabalho que tem ou, apesar de gostar do que faz e da empresa onde atua, não se sente plenamente feliz, talvez o problema não esteja nem mesmo no trabalho. 

 

 

Pode ser algum desequilíbrio entre o que você faz na vida profissional e o que ambiciona para sua vida pessoal.

 

 

E no fim, tudo é uma coisa só. 

 

A felicidade no trabalho só se estabelece quando você toma consciência de que o campo profissional não é um espaço isolado, ele recebe interferências de outras áreas da vida, como a familiar, a financeira, a espiritual e a social, por exemplo.

 

“Se um lado está desequilibrado, ele afetará o outro.

 

Quando o conjunto de elementos que forma a nossa vida estiver bem, você se sentirá bem.

 

 

Mas cuidado para não ficar buscando a perfeição em todas as áreas da vida, muitas vezes, nos afasta daquilo que é fundamental – a harmonia.

 

Para se alcançar a felicidade profissional, o ideal é aliar todos esses elementos e encará-los do modo mais natural possível, e aprender a lidar com as pequenas dificuldades diárias.

 

 

 

 

Existem alguns fatores que dão um empurrãozinho para a felicidade no trabalho:

 

1 – Faça o que gosta:

Fazer o que gosta é o primeiro passo para conseguir alcançar a satisfação na carreira.

Não significa fazer apenas o que gosta, e sim atuar com suas potencialidades e em um ambiente que te permita se desenvolver o máximo possível.

 

 

2 – Autoconhecimento:

Saber o que te faz bem, o que é necessário para sua vida, o que te motiva e o que te dá prazer é fundamental para você buscar a felicidade no trabalho.

 

Quando não temos estes itens bem claros, corremos o risco de ficar seguindo padrões dos outros, que não nos servem, ter grandes conquistas  – e continuar insatisfeito.

 

 

3 – Valores Pessoais x Valores da Empresa:

No que você acredita?

Quais os seus valores e ideais de vida, o que acredita que é certo ou errado? A empresa – e as lideranças – de onde você trabalha possuem valores compatíveis?

 

Vocês compactuam com as decisões, posturas, ideologias?

 

Você tem orgulho do que faz e da empresa onde trabalha?

 

4 – Desafios e Reconhecimento:

Ter desafios constantes e perceber que está evoluindo, crescendo na carreira e como pessoa.

 

Se sentir útil, respeitado e reconhecido por colegas e líderes são outros fatores que também contribuem para a felicidade na carreira.

 

 

5 – Ter bons relacionamentos:

Ter relacionamentos respeitosos e saudáveis no ambiente de trabalho.

Conviver com pessoas com as quais sentimos afinidade trazem inúmeros benefícios.

Além disso, é importante também cultivar bons hábitos durante o expediente: fuja das fofocas, organize seu tempo e sempre que puder, ensine algo.

Compartilhar conhecimento é um ato nobre, que aproxima as pessoas, gera confiança e nos inspira em todas as áreas da vida.

 

 

Esses 5 fatores, porém, não são isolados, uma vez que a nossa carreira, assim como o mercado de trabalho, está em constante mudança.

 

 

A felicidade é uma atividade e escolha diária.

 

Pratique!

 

A satisfação e o bem estar em exercer as atividades do dia a dia impulsionarão a sua motivação e o seu crescimento na carreira.

 

 

 

******

Você anda desanimado com a sua carreira?

 

Talvez seja hora de pensar numa Transição de Carreira

CLIQUE AQUI E ASSISTA UM VÍDEO ESPECIAL

 

 

 

 

Compartilhe!