Gestão humanizada: benefícios para todos

Muitas práticas de gestão humanizada de pessoas são oriundas da época pós revolução industrial, um momento onde a produtividade, a padronização através de processos e a qualidade das entregas eram grandes preocupações dos gestores. Tornar as pessoas mais produtivas e tratar todos da mesma forma era a realidade. 

 

Com a chegada da revolução digital, uma nova realidade se apresentou: ambientes cada vez mais tecnológicos, a introdução da inteligência artificial trabalhando junto às pessoas, tarefas repetitivas e processos ineficientes sendo monitorados pela máquina. Qual papel caberia, deste momento em diante, para nós, humanos? 

 

Enquanto a tecnologia avança, outros campos de estudos também seguem evoluindo, entre eles a psicologia, a neurociência e as áreas de gestão. Estes novos estudos e práticas mostram que o engajamento, o pertencimento e a motivação, fatores intrínsecos aos seres humanos, têm impactos extremamente relevantes para a produtividade, a qualidade e mais: a sustentabilidade das organizações. 

 

Sai de cena as carreiras longevas e lineares, as tarefas repetitivas, a busca pelo salário no final do mês e a estabilidade no emprego. 

 

As pessoas buscam mais do que um trabalho, querem entender no que realmente agregam, como contribuem para a sociedade, querem perceber a própria evolução (financeira, de potencial e conhecimentos) e buscam empresas e líderes nas quais se sintam conectados pelos valores e por causas em comum, o tal propósito.

 

Quando falamos sobre gestão humanizada nas empresas é exatamente este o ponto: o entendimento de que empresas são compostas por pessoas em todas as pontas. Sai do cenário o “customer centricity” para pensarmos em “human centricity”: todas as pessoas são importantes na perpetuidade das empresas. 

 

Não dá pra pensar em cliente sem cuidar primeiro dos colaboradores e de toda sua capacidade humana: criar, conectar, relacionar, comunicar, inovar. Para as empresas estarem prontas para os novos desafios, cada vez mais urgentes e complexos neste mundo BANI, precisamos ter pessoas preparadas.

 

Cabe aos líderes criar ambientes psicologicamente seguros onde a transparência e a confiança prevaleçam, para que as pessoas se sintam motivadas a colaborar, contribuir, testar, aprender e evoluir. Pessoas conectadas ao propósito do negócio tendem a ser mais produtivas, adoecer menos, realizar entregas com melhor qualidade e inovação. 

 

O melhor que um líder pode fazer, por ele, pela empresa e pela sociedade, é tratar todos como indivíduos, entendendo suas necessidades e criando ambientes propícios para o desenvolvimento, isso é a gestão humanizada.