Quais as principais virtudes dos introvertidos

Sempre fui introvertida. Quando criança, no recreio da escola, preferia sentar-me em um canto a observar os demais, sem interagir. Ainda era muito nova, talvez com 6 anos de idade, quando um dia ouvi uma professora dizer à minha mãe: “Sua filha é muito tímida. Ela precisa falar mais.” PRECISA!?

Alguns anos passaram e aquela frase da professora ainda ecoava na minha cabeça. Foi então, que me dei conta que a introversão não era algo socialmente aceita. Passei a pensar então que havia algo de errado comigo.

Não me encaixava nos grupos dos “iguais”, dos teoricamente “aceitos” por todos: escola, grupinhos de amizades e as cobranças sociais assombrava-me… Sofria e pensava em mil desculpas para recusar o convite de happy hour dos colegas do trabalho. Eu só queria ir para casa e ficar na minha doce quietude.

E isso não tem nada a ver com solidão, ao contrário, são momentos em que os introvertidos repõem as energias e sentem-se completos.

A energia dos introvertidos vem de dentro, de seu mundo interior, enquanto a energia dos extrovertidos é recarregada no mundo exterior, junto à outras pessoas.

Com a maturidade e muitas reflexões aceitei-me e reconheci que não, não há nada de errado comigo. A introversão é apenas uma parte da minha personalidade.

Em uma sociedade onde as pessoas articuladas e bem-falantes são mais valorizadas, poucos reconhecem a importância dos introvertidos. Acredito que o poder deste grupo (o qual me incluo) para promover mudanças é muito maior do que se imagina.

 

Introvertidos possuem preferência para assimilar energia do mundo interior das ideias, emoções e impressões da própria pessoa.

 

A introversão pode ser um traço muito valioso para ter sucesso profissional. Pode ser um grande diferencial para quem desempenha atividades de análise e planejamento. Os introvertidos costumam captar detalhes mais facilmente, devido à sua preferência mais pela observação do que pela participação.

Mas não se engane: introvertidos participam, fazem parte de grupos, lideram. Apenas possuem tempo diferente para a ação.

 

É claro que a “balança” da sociedade sempre pendeu, e ainda pende, para os sociáveis, empolgados e tagarelas. Culturalmente, os quietos são percebidos como inseguros e hesitantes.

No fim, muita gente acaba pensando que o comportamento do extrovertido é o mais adequado para o mundo do trabalho. Mas é impossível falar em um perfil certo para o mercado, pois somos diferentes e há uma infinidade de atividades e segmentos de negócios diferenciados pedindo o profissional certo, para o lugar certo.

A diversidade de comportamentos é o que gera resultados promissores.

 

O extrovertido pode colaborar muito com sua sociabilidade, entusiasmo e facilidade de comunicação – mas o introvertido não fica atrás em número de qualidades.

Veja a seguir algumas delas:

 

  • Concentração

O introvertido dificilmente perde tempo com conversas paralelas no trabalho. Ele tem mais facilidade para segurar o foco em suas entregas.

  • Sutileza

Imerso em sua tarefa, o profissional com esse perfil costuma capturar mais facilmente os detalhes do que está fazendo. Tendem a ser mais minuciosos e precisos.

  • Percepção

Outra grande virtude do introvertido é sua capacidade de escuta e de observação. Já que consegue enxergar e ouvir o outro, ele tende a fazer análises mais profundas sobre as diversas situações de trabalho.

  • Originalidade

Em equipes dedicadas à busca por inovação, o introvertido pode ser uma peça fundamental. Ele tende a ter uma visão de mundo mais analítica e profunda, atenta a detalhes que passam despercebidos pelos outros. Por isso, consegue trazer opiniões inusitadas para a equipe de trabalho.

  • Planejamento

O introvertido tem o hábito de coletar um grande número de informações do ambiente antes de agir. Ele demora um pouco mais para agir e falar, mas exatamente por ser mais cauteloso e preparado, ele perde menos tempo lidando com surpresas desagradáveis e imprevistos.

 

 

Há algumas particularidades que os introvertidos gostariam que você soubesse sobre eles e que ajudariam em qualquer relação ou situação.

São elas:

 

  • Eles não se importam com festas.

Qualquer introvertido que trabalha em um escritório sabe como se sente ao ser empurrado para a “vaquinha do bolo”. Parece que esperam que os introvertidos respondam com o mesmo entusiasmo e interesse às festas e eventos. E ele apenas quer ir para casa, se aquietar e recarregar as suas energias. Se você não convidar o introvertido, ele não ficará ofendido. Na verdade, vai é ficar aliviado.

Quando é o seu dia de celebrar, em geral os introvertidos ficam satisfeitos em aproveitar o dia do seu jeito preferido ou com um grupo selecionado de amigos. Em geral, não possuem necessidade de fazer com que todos saibam sobre o seu próprio aniversário.

  • Introvertidos odeiam multidões.

Grandes grupos de pessoas os deixam cansados. Alguns introvertidos são sensitivos, então eles tendem a assumir a energia dos outros facilmente.

  • Não gostam de eventos de networking.

Isto é especialmente difícil para os introvertidos que dirigem um negócio. Networking é visto como se precisasse realizar algum tipo de performance. É uma luta interna para dizer a coisa certa e ouvir atentamente.

E eles não se importam uma vez que não conhecem as pessoas. Mesmo em relacionamentos de negócio, é preciso se sentir conectado com alguém em outro nível para tirar o máximo proveito de um tipo de evento assim. Isso leva tempo.

  • Eles sabem como resolver as coisas.

Eles aproveitam o tempo sozinhos com atividades, projetos, e-mails, rascunhos e planos para uma próxima grande ideia (que são muitas). Valorizam a solidão porque isso permite experimentar novos conceitos, planos e abusar da imaginação. Tudo é possível quando passam algum tempo sozinhos.

  • Adoram escrever e ler.

E por isso amam o e-mail, que os ajudam a conseguir o que precisam sem interrupções. Interrupções os tiram do foco, fazendo os gastar mais energia para retornar. Por favor, não os atrapalhe, a menos que seja uma questão de vida ou morte.

  • Introvertidos se sentem seguros com as pessoas certas.

Quando estão com as pessoas certas em suas vidas, fazem de tudo por elas. Dão o seu melhor. Basicamente tornam-se protetores e lutam pela causa de quem amam. Sentem energia diferenciada e agem de uma forma mais leve e assim brilham. São muito observadores e por isso leva um bom tempo para encontrar as pessoas certas, se conectarem de fato. Precisam sentir confiança e admiração pelo outro, e quando acontece, é definitivo.

  • Possuem amigos que realmente gostam deles.

Os introvertidos gostam das pessoas, e elas deles. A maioria dos introvertidos não têm problemas para sair em grupos, e passar o tempo com os outros. Se têm amigos, é porque conscientemente os escolheu. E estes, geralmente são poucos, mas são para a vida toda.

  • Podem fazer coisas de extrovertidos, mas só por um tempo.

O introvertido pode promover um evento, dar uma festa, desde que faça de boa vontade, sabendo que no final do dia poderá ir para casa, ficar no seu cantinho preferido e aproveitar o seu momento de silêncio. Uma boa música e um inspiradora leitura são ótimas companhias para os introvertidos.

  • Introvertido não quer dizer ser tímido.

Em um primeiro momento pode aparentar isso. E você deve procurar conhecer o introvertido primeiro. Ele poderá fazer você rir e manter uma conversa que dure por mais de 15 minutos. E é importante saber que eles não fazem isso com todos. Ser “social” ou “sociável” é uma opção, não uma maneira de ser. Não conseguem fingir felicidade ou animação e mostram o que pensam diretamente por suas reações e não tanto pelas palavras.

  • Ficam bem sozinhos.

Muita coisa acontece na cabeça de um introvertido e isso faz com que ele não precise de mais coisas. Ao contrário dos extrovertidos, eles não precisam de outras pessoas para serem estimulados.

A diversão fica com seus projetos criativos e o que faz até mesmo ficarem ‘fora do ar’ por um bom tempo. Mais pessoas, significa mais coisas para lidar, e sua energia é bem limitada para isso.

  • Odeiam conversa fiada.

Como verdadeiros pensadores, saboreiam conversas sobre grandes ideias, teorias e ideais. Raramente entram em conversa fiada ou sentem-se confortáveis em uma. Conversas e atividades aleatórias servem apenas para roubar suas energias.

  • Eles fazem uma escolha para estar com você, aprecie.

Eles valorizam o tempo que passam sozinhos e são exigentes sobre quem deixam ‘entrar’. Se a pessoa errada acaba aproximando-se, isso irá drenar a energia, ficando esgotados até para eles mesmos.

O tempo com outro é especialmente apreciado, pois eles possuem uma compreensão de limites e fronteiras de cada um.

 

Vários tipos de personalidades e comportamentos convivem no mesmo ambiente de trabalho, por isso, é importante respeitarmos essas diferenças e sabermos que nossa forma de agir pode incomodar os colegas.

Da mesma forma que queremos que respeitem nossa forma de agir e pensar, devemos respeitar as formas de agir e pensar dos nossos colegas. Claro que, tudo isso com bom senso.

Sejam quais forem essas diferenças, é importante que cada membro, da sua forma e com suas habilidades, trabalhe para que os objetivos da equipe sejam alcançados e a harmonia prevaleça no ambiente de trabalho.

Aproveite para aprender com a diversidade. Saber lidar com as diferenças no ambiente de trabalho é um ponto fundamental para seu sucesso profissional.

 

Compartilhe!